sábado, 29 de dezembro de 2012

Meus 10 álbuns favoritos de 2012

Dando continuidade às listas de fim de ano, depois dos meus 20 singles favoritos e dos filmes que você não pode deixar de ver para se preparar para as premiações do começo do ano, agora venho com os meus 10 álbuns favoritos de 2012. Foi difícil escolher, mas me ative aos que mais ouvi durante o ano, ou que ainda estou ouvindo. Teve muita coisa de qualidade, por isso fiz uma listinha complementar no final do post colocando outros trabalhos que não entraram na minha lista, mas que também tocaram muito durante o ano aqui em casa. Além disso, no fim de tudo também coloquei aquele que foi a minha maior decepção entre os álbuns lançado este ano.

1. MDNA, Madonna

Não tinha como ter outro álbum em primeiro lugar. MDNA foi o retorno da rainha, quatro anos depois do Hard Candy, com muito pop, letras chiclete e um pouquinho de polêmica, para não fugir da tradição. Eu sei que não é a melhor coisa que ela já fez na vida, mas ainda assim foi acima da média e como a lista é dos meus favoritos, o álbum que mais ouvi durante o ano não poderia ficar em outra posição que não fosse o topo da lista.
Não deixe de ouvir: Girl Gone Wild, Gang Bang, I'm Addicted, Turn Up The Radio, Give Me All Your Luvin' (feat. M.I.A. & Nicki Minaj), I Don't Give A e Love Spent.

2. Pink Friday: Roman Reloaded + The Re-Up

Pode falar o que quiser, mas Nicki Minaj simplesmente me ganhou. Adoro seu tipo trash, seus clipes de gosto duvidoso e sua persona louca. E seu segundo álbum é simplesmente uma mistura de todas as Nickis, vai do pop ao hip-hop passando pelo R&B sem ter medo de se entregar à farofada com as produções do RedOne que são irresistíveis. Quem não se rendeu a Starships quando tocou na balada? E Pound The Alarm? Pura perfeição. Nicki também aprimora sua pegada pop com Va Va Voom, uma das melhores músicas do ano e o auge da rapper. Além disso, incluí o relançamento no pacote, considerando tudo um álbum só.
Não deixe de ouvir: Roman Holiday, I'm Your Leader (feat. Cam'ron & Rick Ross), Beez in the Trap (feat. 2 Chainz), Champion (feat. Nas, Drake & Young Jeezy), Starships, Pound The Alarm, Whip It, Gun Shot (feat. Beenie Man), Va Va Voom, Masquerade, Freedom, I'm Legit (feat. Ciara), I Endorse These Strippers (feat. Tyga & Thomas Brinx), The Boys (feat. Cassie).

3. Fantasea, Azealia Banks

Eu sei que Fantasea é apenas uma mixtape, mas como eu faço as regras das minhas listas, vou me permitir incluí-la aqui. Azealia Banks lançou uma mixtape que é melhor que muito álbum por aí. Repleta de faixas com produção impecável, letras incríveis e uma mistura de rap com pop que ninguém conseguiu bater, Fantasea merece todos os elogios e ser lembrada em cada uma das listas que elegem as melhores músicas e álbuns do ano.
Não deixe de ouvir: Out of Space, Neptune (feat. Shystie), Fierce, Jumanji, Aquababe, Esta Noche.

4. The Truth About Love, P!nk

Quem também não pode faltar na minha lista é a P!nk. Uma das minhas catoras favoritas, ela consegue a cada álbum evoluir musicalmente sem deixar de ser ela mesma em nenhum momento. E The Truth About Love é a maior prova disso. Com letras ainda mais trabalhadas e arranjos impecáveis, P!nk lançou um álbum repleto de músicas simplesmente incríveis, desde as baladas de te fazer querer cantar junto até os pops revoltadinhos que são sua marca registrada. The Truth About Love já pode ser incluído como um dos melhores álbuns, se não o melhor, de toda a sua carreira.
Não deixe de ouvir: Blow Me (One Last Kiss), Try, Just Give Me a Reason (feat. Nate Ruess), True Love (feat. Lily Rose Cooper), Slut Like You, The Truth About Love, Here Comes the Weekend (feat. Eminem).

5. Living Things, Linkin Park

O Linkin Park é a minha banda favorita, fato, e com o seu mais recentem álbum, Living Things, eu só posso me sentir agraciado por ser fã desta banda. Sem nunca se acomodar e fazer o mesmo tipo de música, a banda já se arriscou em diversos gêneros, criou verdadeiras obras primas, como o A Thousand Suns, e desta vez reuniu toda a sua experiência e bagagem para criar um trabalho que lembra a sonoridade da época dos álbuns Hybrid Theory e Meteora sem abandonar as experimentações de seus últimos trabalhos, criando assim a perfeita combinação entre o novo e o velho Linkin Park.
Não deixe de ouvir: Lost In The Echo, Burn It Down, Lies Greed Misery, I'll Be Gone, Roads Untraveled, Until It Breaks, Powerless.

6. Halcyon, Ellie Goulding

Sou daqueles que se apaixonaram por Ellie Goulding um pouco tarde. Seu primeiro álbum nem foi um dos que mais ouvi, mas Lights e sua versão de Your Song eram figurinhas carimbadas nas minhas playlists. No entanto, quando ouvi Halcyon pela primeira vez foi paixão instantânea. A voz de Ellie é inigualável e aquela sensação transcendental que o álbum passa é de deixar qualquer um nas nuvens. Puro deleite sonoro.
Não deixe de ouvir: Don't Say a Word, Anything Could Happen, Only You, Figure 8, I Know You Care, Dead in the Water.

7. Trespassing, Adam Lambert

Trespassing é tudo que se espera de um artista pop. Boas letras, batidas incríveis e uma produção impecável. E estes detalhes ficam ainda mais sensacionais aliados à voz magnífica de Adam Lambert. Não há um só cantor no pop mainstream atualmente que tem a qualidade vocal do segundo colocado da oitava temporada do American Idol - nomear Kris Allen como o vencedor foi maior erro que a audiência americana já cometeu em um reality show.
Não deixe de ouvir: Trespassing, Shady (feat. Nile Rodgers & Sam Sparro), Never Close Our Eyes, Pop That Lock, Better Than I Know Myself, Broken English, Outlaws of Love.

8. The Evolution of Man, Example

The Evolution of Man é tudo aquilo que a gente espera do Example. Letras incríveis sobre batidas insanas naquela mistura de rap com música eletrônica que só ele faz perfeitamente. No entanto, a evolução do título está no acréscimo de uma pegada mais rock com riffs de guitarra permeando grande parte das faixas resultando em um trabalho ainda mais incrível e até um pouco mais pesado em algumas faixas.
Não deixe de ouvir: Close Enemies, Perfect Replacement, Queen of Your Dreams, Say Nothing, The Evolution of Man, Blood from a Stone.

9. Unapologetic, Rihanna



Um novo álbum da Rihanna por ano é a maior certeza que temos na música e ainda assim ela consegue surpreender e criar obras de qualidade e com grande apelo comercial. Com Unapologetic não foi diferente. A surpresa foi grande quando a cantora resolveu deixar as farofas que lhe renderam tanto sucesso no trabalho anterior de lado e investir em um trabalho mais profundo e urban, mas foi uma ótima surpresa. Unapologetic é o trabalho da cantora que mais se aproxima do clima soturno de sua obra-prima, o Rated R, e ele nos presenteou com algumas das canções mais bonitas que Rihanna já gravou.
Não deixe de ouvir: Phresh Out the Runway, Diamonds, Numb (feat. Eminem), Loveeeeeee Song (feat. Future), Jump, Right Now (feat. David Guetta), Stay (feat. Mikky Ekko), Nobody's Business (feat. Chris Brown).

10. Born To Die + Paradise EP, Lana Del Rey

O hype sobre Lana Del Rey era grande e com isso sempre surge aquele medo gerado pela expectativa, mas seu trabalho de estreia não decepcionou. Born To Die, junto com o EP do relançamento, Paradise, é um trabalho apaixonante com uma sonoridade vintage com influências de Nancy Sinatra com uma pegada que parte para aquele hip-hop mais calmo e com referências a trilhas sonoras das décadas de 50 e 60. Uma mistura estranha que resulta em um trabalho belíssimo.
Não deixe de ouvir: Born To Die, Off to the Races, Blue Jeans, Video Games, National Anthem, Carmen, Summertime Sadness, Ride, Body Electric.

Outros grandes lançamentos de 2012 que merecem sua atenção: House of Gold & Bones, Pt. 1, Stone Sour; Kiss, da Carly Rae Jepsen; Contrast, do Conor Maynard; channel ORANGE, do Frank Ocean; Push and Shove, do No Doubt; The Connection, do Papa Roach; Go! Pop! Bang!, da Rye Rye; Based On A T.R.U. Story, do 2 Chainz; Misty Eye, do Aiden Grimshaw; Motel, da Banda Uó; 18 Months, do Calvin Harris; Warrior, da Ke$ha; ¡Uno!, ¡Dos! e ¡Tré!, do Green Day; e Overexposed, do Maroon 5.

Decepção do ano: Lotus, Christina Aguilera

Lotus tinha a missão de ser o álbum que levantaria a carreira da Christina Aguilera depois do fracasso comercial de seu último trabalho, o Bionic. No entanto, o resultado não foi nem perto do esperado. O álbum não é ruim, teve um primeiro single incrível, mas está longe da qualidade que eu esperava. Tem boas músicas pop, tem boas baladas, mas de extraordinário mesmo apenas umas cinco faixas, algo bem aquém da capacidade que sabemos que ela tem. Colocando na balança, acho que ainda prefiro o Bionic que, para mim, está longe de ser ruim como todos dizem.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Fique de olho: filmes que merecem sua atenção!

Fim do ano chegando e junto com ele as principais premiações e listas de melhores do ano começam a pipocar por todos os lados. É inegável que na maior parte do tempo discordamos de tudo isso e até nos irritamos com algumas escolhas. Quem nunca ficou morrendo de ódio com o vencedor do Oscar? Quem nunca parou para pensar o quanto o Globo de Ouro é ridículo em suas indicações? Quem nunca achou pura injustiça aquele filme que tanto amou ter sido esculachado por aquele crítico? No entanto, ainda assim é impossível deixar de acompanhar tudo isso.

Aproveitando o tema, selecionei alguns filmes que ainda não foram lançados por aqui e que merecem sua atenção. Seja por ter figurado na maioria das listas de melhores do ano, seja por ter sido ovacionado pelos festivais mais alternativos ou mesmo por eu considerar que tal obra vale a pena uma conferida. Pode ter certeza de que muita coisa deve ter ficado de fora, mas fiz meu melhor para conseguir selecionar os mais interessantes.


Tinha como começar diferente? O novo filme de Quentin Tarantino, com a sua versão dos faroestes clássicos, com Leonardo DiCaprio como vilão, Christoph Waltz mais uma vez em um papel que já nasceu icônico, Jamie Foxx 'badass', ação e violência de qualidade e uma trilha sonora impecável. Preciso dizer algo mais? É Tarantino gente, não dá para perder!




A diretora vencedora do Oscar por Guerra ao Terror está de volta com mais uma trama envolvendo a guerra dos EUA ao terror, só que desta vez ela foi mais ambiciosa - e deve ter tido muito mais dinheiro, já que sua carreira está bombando atualmente. Ao invés de focar em um esquadrão anti-bomba, o negócio aqui é a caçada ao inimigo número um dos EUA, Osama Bin Laden, e o resultado parece ser impecável. Os trailers passam uma carga dramática carregadíssima, em especial resultado do trabalho mais que elogiado de Jessica Chastain como a protagonista, e o filme já foi eleito um dos melhores de 2012 em diversas listas. Vale a pena não deixar passar.




Drama familiar, personagens com personalidade complicada, atores incríveis e um diretor que ganhou muito destaque recentemente, com as indicações ao Oscar por O Vencedor, mas que há muito se destaca por sua habilidade de conduzir qualquer tipo de produção de forma impecável. É aquele tipo de filme que deve agradar muito os fãs de produções indie que contam com bom roteiro, boas interpretações e uma trilha de qualdiade.




Não gostei de O Discurso do Rei principalmente por sua direção extremamente chata e exageradamente certinha. No entanto, não posso deixar Os Miseráveis de fora da minha lista e são diversos os fatores que me fazem superar minha raiva de Tom Hooper. Primeiro por ser um musical, o que eu amo. Segundo pelo elenco incrível: Hugh Jackman, Anne Hathaway, Amanda Seyfried, Sacha Baron Cohen, Helena Bonham Carter, Russell Crowe, entre tantos outros. E terceiro pelo nível épico que a produção parece ter. Simplesmente incrível!!!




Paul Thomas Anderson é o responsável por alguns dos meus filmes favoritos. Boogie Nights, Magnolia e Sangue Negro são produções simplesmente geniais, o que já garante a expectativa nas alturas pelo novo filme do diretor, O Mestre. Como se isso não fosse o suficiente, ainda temos o "retorno" de Joaquim Phoenix e uma história que causou certa polêmica com as semelhanças gigantescas com a origem da Cientologia. Para coroar, O Mestre ainda saiu com o Leão de Prata do Festival de Veneza deste ano. Um currículo de respeito.




Para encerrar a lista, já que preciso fazer isso em algum momento, não poderia deixar Amour, novo filme do diretor Michael Haneke de fora. Só pelo trailer já me emocionei mais que em muito filme inteiro por aí. É de uma sensibilidade, de uma delicadeza e de uma beleza que não tem como não se sentir ansioso pela produção. E já que o nosso incrível O Palhaço ficou de fora da corrida pelo Oscar de filme estrangeiro, que seja Haneke.



See ya!!!

sábado, 15 de dezembro de 2012

Lista: meus 20 singles favoritos de 2012


Ok, estou decidido a retomar o blog para valer, mesmo que isso vá consumir grande parte do meu tempo livre, que já não é muito grande. Então, para o grande (só que não) retorno, nada melhor que algumas listas. Vou falar inicialmente de música, que é o que consigo definir antes mesmo de 2012 chegar ao fim, já que de agora até o dia 31 nada de grande relevância capaz de mudar minha opinião deve sair. Já os melhores filmes ficarão para 2013, afinal, ainda tem muito coisa boa para chegar aos cinemas até o final do ano.

Para começar, escolhi meus 20 singles favoritos do ano. Este lista leva em consideração apenas o meu gosto pessoal, basicamente são algumas das músicas que mais ouvi durante o ano e que não podem faltar nas minhas playlists.

Chega de papo e vamos lá:

1. Girl Gone Wild, Madonna

É a melhor música que a Madonna já fez? Não, mas ainda assim é boa demais. E pode me xingar o quanto quiser, mas eu acho Girl Gone Wild viciante, com produção de qualidade e, mesmo sem ser uma revolução musical, dá um banho em muitas destas músicas pops que estão tocando por aí. Ter um clipe visualmente incrível e com pitadas de polêmica, do jeito que a gente gosta, também ajudou o single e vê-lo ao vivo, com toda produção e coreografia impecável, só elevou a música no meu conceito.



2. Diamonds, Rihanna

Depois de um álbum que só conseguiu sucesso nas farofas produzidas por Calvin Harris, Rihanna surpreendeu todo mundo quando lançou Diamonds, primeiro single do seu sétimo álbum. A faixa, escrita por Sia - que se tornou a compositora com toque de ouro em 2012 -, é uma midtempo que resgata o lado mais profundo de Rihanna e lembra um pouco a época do Rated R, melhor álbum já lançado pela cantora. Com estas características, não é de se estranhar que a música é uma das melhores de 2012 e um sucesso gigantesco.



3. Va Va Voom, Nicki Minaj

Nicki Minaj teve muitos single em 2012, muitos mesmo e, apesar de eu amar todos (Starships, Pound The Alarm, The Boys, Beez In The Trap, e eu poderia continuar listando vários), nenhum deles supera Va Va Voom. A faixa, produzida pelo mago Dr. Luke, era para ter sido o primeiro single oficial do segundo álbum da rapper, Pink Friday: Romand Reloaded, mas, sabe-se lá o por quê, de última hora foi substituída por Starships e jogada lá para as faixas bônus do disco. Agora, com o relançamento do álbum, Va Va Voom finalmente foi lançada como single. Pop da melhor qualidade e totalmente viciante, a música tinha capacidade de ser o maior sucesso da rapper, se não fosse a divulgação bagunçada que acabou deixando-a de lado. Triste!



4. King of Hearts, Cassie

King of Hearts é sem dúvidas um dos melhores singles lançados em 2012, mas também é um dos maiores fracassos. Cassie simplesmente não consegue voltar a fazer sucesso, tanto faz se a música é impecável e pronta para as rádios sem soar a mesma coisa que todo mundo já fez. Cassie é mais um daqueles casos, junto com Ciara e tantas outras por aí, que não importa a qualidade do que elas lançam, já é certeza de que não vai fazer sucesso. Uma pena!



5. We'll Be Coming Back (feat. Example), Calvin Harris

Este foi o ano que Calvin Harris atingiu o sucesso mundial, principalmente por causa de sua colaboração com Rihanna nos grandes sucessos We Found Love e Where Have You Been, mas, para mim, foi a sua colaboração com o excelente Example que rendeu seu melhor single do ano. We'll Be Coming Back tem aquela vibe que te faz querer fechar os olhos e se entregar àquelas batidas enquanto canta junto. E a voz do Example se encaixa perfeitamente nas batidas criadas por Harris.



Os 15 restantes estão depois do pulo.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Crítica: 007 - Operação Skyfall

Tive que deixar minhas férias forçadas do blog de lado por um tempo para vir comentar o novo filme do espião mais famoso do mundo. 007 - Operação Skyfall chegou aos cinemas brasileiros esta semana cercado pela ansiedade e medo dos fãs que viram a série do agente criado por Ian Fleming tomar rumos inesperados nos últimos anos, com a entrada de Daniel Craig no papel. Cassino Royale foi um dos melhores filmes da série 007 feitos até hoje - apesar da quebra brusca em relação a algumas das características mais marcantes do personagem -, mas sua continuação, Quantum of Solace, deixou um pouco a desejar. Skyfall tinha então que, além ser o filme que comemoraria os 50 anos do personagem nos cinemas, retomar a qualidade vista em Cassino Royale e provar que 007 ainda é um personagem relevante em pleno século XXI. Tarefas cumpridas com êxito.

O resultado já deveria ser esperado, afinal, o time que abraçou a tarefa é um dos melhores de Hollywood. Neal Purvis e Robert Wade, responsáveis pelo roteiros dos últimos cinco filmes da franquia - contando Skyfall -, escorregaram em O Mundo não é o Bastante e Quantum of Solace, mas conhecem bem o personagem a ponto de criarem uma base de qualidade para o roteiro que depois foi retrabalhado por John Logan, roteirista de filmes tão diversos como Gladiador e A Invenção de Hugo Cabret. O resultado final do roteiro é um texto de qualidade, denso, que acrescenta diversas camadas a personagens já conhecidos e que ainda brinca constantemente com a mistura de velho e novo com referências inteligentíssimas sobre a história do personagem e seus muitos momentos clássicos no cinema.

O roteiro do trio ainda marca pontos por criar uma história que agrada todos os públicos, desde os recém-iniciados na franquia até os que nunca viram um filme do agente, passando pelo público mais importante de todos: os fãs. Skyfall resgata características clássicas do agente sem deixar de lado a evolução pela qual os filmes passaram desde Cassino Royale. É como se estivéssemos vendo James Bond atingir sua maturidade, é crescimento profissional inevitável que vem com o tempo de trabalho.

Também não dá para não destacar o trabalho impecável que Sam Mendes (Beleza Americana) fez na direção. Com uma carreira razoavelmente curta e de poucos filmes, Mendes é responsável por obras tão significativas quanto diferenciadas e Skyfall é apenas a cereja no topo do bolo para o diretor. Mendes tem classe dirigindo filmes e 007 é uma franquia que exige classe, por isso o casamento é perfeito. Não tem como não notar o uso de tomadas diferenciadas e de cenas de ação criadas com um olhar vindo de alguém que busca a arte mesmo no momento mais cinemão que um filme pode produzir. A luta de Bond com o inimigo em que vemos apenas o contorno dos dois é de uma beleza sem igual. E o que dizer da tomada de M (Judi Dench) diante dos vários caixões de seus agentes, encurralada no canto, pequena diante de tamanha tragédia? Lindo.

Lindo também é o elenco de Skyfall. Daniel Craig se consolidou como James Bond. Confortável como nunca no papel, ele equilibra perfeitamente aquela rispidez do novo Bond com a classe que já é marca do personagem. Dench tem algumas das melhores cenas da produção, principalmente quando divide a tela com Javier Bardem. O vencedor do Oscar simplesmente entrega uma interpretação impecável como um dos vilões mais misteriosos e mortais da franquia. Bérénice Marlohe não faz muito além de parecer linda. Já Naomie Harris faz um trabalho competente para abrir caminho para uma personagem clássica que finalmente está de volta à série. E quem está de volta também é Q. Ben Whishaw encarna o visual geek que cabe perfeitamente para o personagem no século XXI.

Quanto à história, sem ter a necessidade de dar uma continuidade direta aos eventos do filme anterior, peso que Quantum of Solace tinha, Skyfall foca em uma ameaça do passado de M que coloca em risco a MI6 e seus agentes. Cabe então a Bond encontrar e destruir esta ameaça.

Skyfall é a volta do antigo agente com pitadas do novo, é um passeio por referências e a abertura para novos caminhos na série que só nos deixam ainda mais ansiosos pelo que virá depois. Ah, e a música tema, cantada pela Adele, é linda e embala perfeitamente a sequência de créditos iniciais melancólica.

Confira o trailer abaixo:



See ya!!!

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Blog off por tempo indeterminado!

Já vai para mais de uma semana que não atualizo o blog, mas não o abandonei. Justamente por isso estou passando por aqui. Este post é para avisar que ultimamente o tempo está escasso e por isso tive que deixar o blog de lado por enquanto. Ainda não sei quando poderei voltar com as postagens, mas isso vai acontecer. Enquanto isso, sempre que sobrar um tempinho vou tentar postar algo, mas não posso dar nenhuma data ou prometer postagens regulares até tudo estar no seu devido lugar comigo.

Se ainda há alguém que acompanha o blog (aqueles carentes deprimidos) e até mesmo sente falta dele, garanto que estarei de volta assim que possível. Sinto muita falta deste espaço.

See ya!!!

sábado, 8 de setembro de 2012

Preview Fall Season 2012: The CW


O The CW é o último canal do qual vou falar no meu preview para a fall season 2012. Além de três novidades para esta temporada, a emissora também verá um dos seus maiores sucessos chegar ao fim com o encerramento de Gossip Girl. A série enfrentou alguns problemas de audiência no ano passado e foi renovada para um temporada reduzida apenas para dar um final decente para seus personagens. Em 2013, entra na programação do canal, The Carrie Diaries, série que deve ficar com o horário de Gossip Girl e que mostra a juventude de Carrie Bradshaw, a protagonista de Sex and the City. Confira abaixo as novidades:

Arrow
Estreia: 10/10

Arrow é uma adaptação para a TV do herói da DC Comics Arqueiro Verde. Mas esqueça tudo que você viu sobre o personagem durante sua participação em Smallville, a nova série não terá qualquer ligação aquela história. Em Arrow, o playboy bilionário Oliver Queen se transforma no herói mascarado depois de voltar de uma ilha deserta onde ficou preso por cinco anos depois de um naufrágio determinado a fazer a diferença. Stephen Amell (Hung) interpreta o herói. Katie Cassidy (Gossip Girl), Colin Salmon (Resident Evil), Kelly Hu (X-Men 2) e John Barrowman (Torchwood) participam da série que foi produzida por Greg Berlanti (Brothers & Sisters).

Vou assistir? Com certeza. Os trailers são bons, gosto do tom mais realista e pesado adotado, e eu gostava muito de Smallville no começo, por isso acredito na possiblidade de o CW fazer uma série interessante sobre o herói.

Veja o trailer:



Beauty and the Beast
Estreia: 11/10

Levemente baseada na série de mesmo nome produzida nos anos 80 pelo canal CBS, Beauty and the Beast apresenta uma versão modernizada da história. Na série, a detetive Catherine Chandler (Kristin Kreuk), quando criança, foi salva por uma criatura desconhecida. Já adulta, durante uma investigação, ela chega a um homem chamado Vincent Keller (Jay Ryan), um médico que teria sido morto na guerra do Afeganistão em 2002. Catherine então descobre que na verdade Vincent é a criatura que a salvou anos atrás e concorda em protegê-lo em troca de informações sobre o assassino de sua mãe.

Vou assistir? Sim, não resisto a essas trasheiras do CW com pegada adolescente.

Veja o trailer:



Emily Owens, M.D.
Estreia: 16/10

Emily Owens é uma residente de primeiro ano no hospital Denver Memorial e antes que sua felicidade se concretize por ter deixado a vida de nerd da escola para trás, ela percebe que as coisas não serão muito diferentes já que sua paixão do colégio e sua grande inimiga também estão no mesmo hospital que ela. Mamie Gummer (The Good Wife) interpreta a protagonista, Justin Hartley (Smallville) faz sua paixão do colégio e Aja Naomi King sua inimiga.

Vou assistir? Ainda não sei. Continuo não curtindo muito séries sobre médicos e hospitais, mas até que gostei do trailer desta aqui. Talvez eu veja o piloto e decida a partir daí.

Veja o trailer:



See ya!!!

Preview Fall Season 2012: ABC


Chegou a vez de falar da ABC, que depois de oito anos retorna sem Desperate Housewives em sua programação - eu sei, está na hora de superar a perda. A emissora estreará cinco de suas dez novidades nesta fall season, duas comédias e três dramas de uma hora de duração. Confira abaixo:

The Neighbors
Estreia: 26/09

The Neighbors conta a história de uma família que se muda para um bairro de Nova Jersey e ao chegar lá descobre que todos os seus vizinhos são extraterrestres. A comédia foi escrita por Dan Fogelman, roteirista do excelente Amor a Toda Prova, que também atua como produtor executivo da série juntamente com Aaron Kaplan (GCB e Terra Nova) e Chris Koch (Workaholics), que também dirigiu o piloto. O elenco conta com Lenny Venito (MiB³), Jami Gertz (Twister) e Max Charles (O Espetacular Homem-Aranha).

Vou assistir? Ainda não sei. Adoro comédias e sou fã do roteiro de Amor a Toda Prova, mas o trailer de The Neighbors me deixou com vergonha alheia.

Confira o trailer abaixo:



Last Resort
Estreia: 27/09

Last Resort é um drama sobre a renegada tripulação de um submarino da marinha norte-americana que se torna o alvo dos EUA após desobedecer as ordens de disparar mísseis contra o Pasquitão. Abandonados e deixados para morrer, a equipe encontra abrigo em uma ilha chamada Sainte Marina onde eles se declaram a menor nação com potencial nuclear enquanto tentam provar sua inocência e descobrir uma forma de voltar para casa. A série foi criada por Shawn Ryan, de The Shield, e conta com Scott Speedman (Underworld), Robert Patrick (O Exterminador do Futuro 2), Andre Braugher (Salt) e Autumn Reeser (The O.C.) no elenco.

Vou assistir? Provavelmente não. Estou sem paciência para este tipo de drama.

Veja o trailer:



666 Park Avenue
Estreia: 30/09

666 Park Avenue conta a história de um casal do centro-oeste dos EUA que se muda para o The Drake, um prédio de apartamentos no Upper East Side, em Nova York, onde eles, além de viverem, trabalharão como síndicos. No entanto, o que eles não sabem é que no prédio residem apenas pessoas que fizeram um pacto com o diabo em busca de realizar todos os seus desejos. A série é baseada no livro de mesmo nome escrito por Gabriella Pierce e foi produzida por David Wilcox, de Fringe. Terry O’Quinn (Lost), Vanessa Williams (Desperate Housewives), Dave Annable (Brothers & Sister), Rachael Taylor (Charlie's Angels) e Erik Palladino (ER) estão no elenco.

Vou assistir? Provavelmente sim. 666 Park Avenue me chamou um pouco a atenção e pode ser diversão descompromissada da melhor qualidade.

Veja o trailer:



Nashville
Estreia: 10/10

Nashville acompanha os bastidores da música country mostrando a queda de uma lendária artista do gênero, a personagem Rayna James (Connie Britton), e a asceção da nova sensação teen Juliette Barnes, interpretada por Hayden Panettiere, de Heroes. Callie Khouri, do clássico Thelma & Louise, criou a série e atua como produtora executiva em parceria com R.J. Cutler e Steve Buchanan. Além de Britton e Panettiere, o elenco ainda conta com Eric Close (Without a Trace), Clare Bowen, Jonathan Jackson (Terminator: The Sarah Connor Chronicles) e Sam Palladio (Episodes).

Vou assistir? Sim. Não resisto ao clima de novelão misturado com musical.

Veja o trailer:



Malibu Country
Estreia: 02/11

Malibu Country marca o retorno da cantora country Reba McEntire como protagonista à televisão cinco anos depois que sua série Reba foi cancelada. A série conta a história de uma mulher divorciada que muda com sua família de Nashville, Tennessee, para Maliby, Califórnia, para tentar recomeçar sua carreira na música e um novo capítulo em suas vidas. Lily Tomlin (Desperate Housewives) e Sara Rue (Popular) também estão no elenco.

Vou assistir? Sim. Parece engraçadinha, tem um bom elenco e mesmo parecendo apelar para piadas batidas, conseguiu me fazer sorrir em uma ou outra cena do trailer, o que é um bom sinal.

Veja o trailer:



See ya!!!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Preview Fall Season 2012: CBS

Seguindo com os previews sobre as novidades das emissoras norte-americanas, hoje vou falar sobre as novas séris do canal CBS. A emissora, que é a casa de grandes sucessos como How I Met Your Mother, Two and a Half Men, The Big Bang Theory e CSI, estreia quatro de suas sete novas séries nesta fall season, e todas na mesma semana. Confira abaixo a lista:

Partners
Estreia: 24/09

Partners é a nova comédia criada e produzida por David Kohan e Max Mutchnick, dupla responsável por Will & Grace. A série segue a história de dois grandes amigos e parceiros de negócios, Charlie (David Krumholtz, de Numb3rs) e Louis (Michael Urie, de Ugly Betty), cuja amizade de muitos anos entra em crise quando Charlie resolve pedir sua namorada em casamento. Sophia Bush, de One Tree Hill, faz a namorada de Charlie e Brandon Routh (Superman - O Retorno), faz o namorado de Louis. Molly Shannon (Kath & Kim) também está no elenco.

Vou assistir? Com certeza. Will & Grace é uma das minhas séries favoritas e se Partners tiver metade da qualidade dela será ótima.

Confira o vídeo com cenas da série e dos bastidores abaixo:



Vegas
Estreia: 25/09

Vegas é uma série inspirada na história real de Ralph Lamb, interpretado por Dennis Quaid (O Dia Depois de Amanhã), um ex-xerife que luta para trazer ordem para a Las Vegas dos anos 60. Para isso ele terá que enfrentar um gângster de Chicago (Michael Chiklis) que quer tomar conta da cidade. James Mangold, diretor de Johnny & June e que atualmente trabalha em The Wolverine, é um dos produtores executivos e também dirige o episódio piloto. O elenco ainda conta com Carrie-Anne Moss (Matrix).

Vou assistir? Não é meu tipo favorito de série e os vídeos que vi até agora não me chamaram muito a atenção, mas, como sempre, devo ver o piloto e decidir dali se continuo ou não.

Veja o trailer/bastidores da série:



Elementary
Estreia: 27/09

A dupla responsável por Justified Sarah Timberman e Carl Beverly produz esta nova versão do personagem clássico Sherlock Holmes. Assim como a série britânica da BBC, Elementary traz o personagem de Arthur Conan Doyle para o presente em uma versão moderna e repaginada. Na série, Sherlock é um ex-consultor da Scotland Yard que viaja para os EUA para tratar seu vício e passa a ajudar a polícia de Nova York. Jonny Lee Miller interpreta Sherlock e Lucy Liu ficou com o papel de Joan Watson.

Vou assistir? Apesar de estar com um pé atrás com esta série, com certeza verei. Por falar nisso, o episódio piloto da série já vazou na rede.

Bastidores e cenas no vídeo abaixo:



Made In Jersey
Estreia: 28/09

Made In Jersey conta a história de Martina Garretti (Janet Montgomery), uma jovem que veio de uma família de baixa renda e que venceu na vida. Ela se torna advogada em uma grande firma de Manhattan e usa seus conhecimentos das ruas para se destacar entre seus colegas. Kyle MacLachlan (Desperate Housewives) também está no elenco da série.

Vou assistir? Não pretendo. Não me chamou a atenção pela história e nem pelo elenco, sem contar que tem cara de que não vai durar muito.

Veja o trailer abaixo:



See ya

Ouça I Found You, o novo single do The Wanted

O The Wanted já está preparando seu terceiro álbum e hoje eles divulgaram o primeiro single deste novo trabalho. A música se chama I Found You e apesar de seu começo lembrar muito Glad You Came, a faixa ainda consegue ter sua própria identidade e nos ganhar com aquele refrão viciante. A produção ficou por conta de Steve Mac, produtor veterano que já trabalhou com artistas como Westlife e Kelly Clarkson, recentemente produziu a sensacional Notorious, para as The Saturdays, e também é responsável pela já citada Glad You Came, do The Wanted. O típico caso de "em time que está ganhando não se mexe". Juntos eles criaram um batidão farofa da melhor qualidade que tem tudo para bombar e tornar o The Wanted ainda maior do que eles já são atualmente.

O single, seguindo aquele formato estranho de divulgação do Reino Unido, só será lançado oficialmente para venda no dia 4 de novembro e o novo álbum só no começo de 2013. Um clipe já foi gravado para a faixa e foi dirigido por Chris Marrs Piliero, responsável por I Wanna Go e Criminal, da Britney Spears.

Ouça abaixo:



See ya!!!

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Opinião: Revolution, a nova série produzida por J.J. Abrams

J.J. Abrams, o homem por trás de séries incríveis como Alias, Lost e Fringe, parece ter perdido a mão para TV. Suas séries mais recentes estão longe da qualidade e inovação pelas quais ele ficou conhecido. Undercovers não era horrível, mas estava longe de ser boa. Alcatraz não resistiu ao hype e, ao invés de ser algo criativamente inovador, soou pretensiosa demais, sem ter qualidade o suficiente para sustentar sua pretensão. E a nova tentativa dele segue o mesmo caminho e está longe de ser algo memorável.

O episódio piloto de Revolution, disponibilizado online pela NBC, é uma salada de clichês e referências - logo de cara já me lembrei de séries como Jericho, FlashFoward e até Terra Nova. Não me entenda mal: não acho que o uso de clichês e referências seja sempre ruim, vide o trabalho incrível de Tarantino com referências, reinterpretação de gêneros clássicos e distorção de clichês em seus filmes. No entanto, aqui eles não servem para nada além de enfraquecer o resultado final e fazer com que o espectador sinta o tempo todo aquela sensação de "já vi isso antes e já sei o que vai acontecer", o que é uma pena diante da boa premissa que a série apresenta.

No início Revolution parecia bem promissora, mas, depois do blackout, tudo foi por água abaixo. Charlie, a protagonista interpretada pela fraca Tracy Spiridakos, é a típica jovem revoltada que quer desbravar o mundo perigoso e desconhecido mais por querer irritar seu pai do que por seu espírito aventureiro. Também me incomodou muito a morte óbvia do pai logo depois da briga para gerar a motivação na garota e a utilização, mais uma vez, de um herói relutante carregado no sarcasmo sem graça. Ah, e não se esqueça do vilão que se apaixona pela mocinha.

Pelo piloto posso dizer que estou extremamente decepcionado. Devo ver o segundo episódio apenas pelo cliffhanger deixado pelo primeiro e também para não tirar conclusões precipitadas, mas já estou quase certo de que essa não será uma das novidades que acompanharei.

Para saber as outras séries estreantes da NBC nesta temporada é só acessar o preview da emissora clicando aqui.

Confira o trailer de Revolution abaixo:



See ya!!!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Preview Fall Season 2012: Fox

Dando continuidade ao preview da fall season 2012, hoje vou falar das novidades da Fox. A emissora, que só tem cinco novas séries, estreará apenas três nesta fall season, deixando assim o thriller produzido por Kevin Williamson (The Vampire Diaries) The Following e a comédia dos criadores de How I Met Your Mother Goodwin Games para a midseason em 2013. Confira abaixo:

The Mob Doctor
Estreia: 17/09

The Mob Doctor é o novo drama médico da emissora. A série será exibida nas noites de segunda-feira, dia em que a Fox exibia a encerrada House. The Mob Doctor conta a história de uma jovem cirurgiã que é forçada a trabalhar para a máfia de Chicago para pagar uma dívida de família. O drama é produzido por Josh Berman e Robert Wright, de Drop Dead Diva, juntamente com Micahel Dinner, de Justified. Jordana Spiro, da ótima My Boys, faz a protagonista. O elenco ainda conta com William Forsythe (Boardwalk Empire), Zach Gilford (Friday Night Lights), Jaime Lee Kirchner (Mercy), Kevin Corrigan (Fringe) e Shohreh Aghdashloo (X-Men: O Confronto Final).

Vou assistir? Provavelmente não. Não gosto de séries médicas - com exceção de Nurse Jackie -, e, apesar da abordagem diferente, os trailers divulgados até agora não me chamaram a atenção.

Veja o trailer:



Ben and Kate
Estreia: 25/09

Ben and Kate é a primeira das duas comédias novas da emissora a estrear. Juntamente com The Mindy Project - da qual falo logo abaixo -, New Girl e Raising Hope, elas formarão o bloco de comédia da Fox nas noites de terça-feira. Ben and Kate conta a história de um cara fracassado, Ben (Nat Faxon), que com a desculpa de ser babá de sua sobrinha, se muda para a casa de sua irmã certinha, Kate (Dakota Johnson). Lucy Punch, de Um Jantar para Idiotas e The Class, também está no elenco.

Vou assistir? Com certeza. Pelos trailers parece bem divertida e, como eu já disse, tenho fraco por comédias. Para quem se interessar, a Fox já disponibilizou o episódio piloto da série na internet, ainda não tive a oportunidade de ver, mas farei isso o quanto antes.

Veja o trailer:



The Mindy Project
Estreia: 25/09

The Mindy Project conta a história de uma jovem médica ginecologista e obstetra que tenta conduzir sua vida profissional e pessoal da melhor forma possível, mas sem grandes resultados. A protagonista é descrita como uma espécie de Bridget Jones mais jovem. Mindy Kaling, de The Office, é a protagonista e também atua como produtora e roteirista da série. Dana DeLorenzo (2 Broke Girls), Anna Camp (The Good Wife), Chris Messina (Damages), Zoe Jarmon (The Office) e Ed Weeks (The IT Crowd) também estão no elenco.

Vou assistir? Com certeza. Já vi o episódio piloto, que a Fox também disponibilizou online, e o humor até que inocente e com boas piadas me ganhou de cara. Tem tudo para fazer uma ótima dobradinha com New Girl.

Veja o trailer:



See ya!!!

Rihanna lança remix para Cockiness (Love It)

Eu achei que com as notícias sobre as gravações do sétimo álbum Rihanna estaria encerrando a era Talk That Talk, mas não vai ser bem assim. Eis que do nada a cantora divulgou hoje um remix para Cockiness (Love It), uma das músicas favoritas dos fãs - e minha também. A nova versão, que não mudou praticamente nada - apenas conta com alguns versos do rapper A$AP Rocky -, será apresentada ao vivo na próxima quinta-feira durante o VMA, premiação da MTV norte-americana na qual Rihanna é líder de indicações este ano - se você não viu ou não lembra dos indicados, é só clicar aqui. O remix será disponibilizado para a compra no iTunes logo depois da apresentação. Agora, a questão é: teremos clipe para a faixa ou ela será apenas um single promocional?

Ouça abaixo Cockiness (Love It) com a participação de A$AP Rocky:



See ya!!!

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Preview Fall Season 2012: NBC

Falta pouco mais de uma semana para o início da fall season 2012, a temporada mais movimentada da TV norte-americana e, por isso, vou começar com a minha série de posts sobre as novidades de cada uma das cinco principais emissoras de lá - como fiz ano passado. E, assim como fiz ano passado também, no momento só vou tratar das séries que serão lançadas ainda este ano. As novidades que ficaram para a midseason não entrarão nesta lista.

Para começar vou lhes apresentar as novidades da NBC. A emissora, que é casa das minhas favoritas Community, 30 Rock e Parks and Recreation, é a primeira a estrear uma série na temporada e investe principalmente em comédias para esta fall season. Confira abaixo:

Go On
Estreia: 08/08 (prévia exibida pós-olimpíadas) e 11/09 (estreia no horário regular)

Go On tem chamado muito a atenção por ser mais uma tentativa de Matthew Perry (Friends) de retornar a TV como protagonista de uma comédia. A série conta a história de um comentarista de esporte que, depois de perder sua esposa, é obrigado por seu chefe a frequentar um grupo de ajuda para superar a dor e poder então voltar a trabalhar. O elenco ainda conta com nomes como John Cho (FlashFoward), Tyler James Williams (Everybody Hates Chris), Laura Benanti (Law & Order: SVU), Allison Miller (Terra Nova) e Bill Cobbs (Uma Noite no Museu).

Vou assistir? Já vi o piloto e com certeza vou continuar. A série equilibra bem momentos de humor e drama e tem personagens bem carismáticos. Tem tudo para ser sucesso.

Veja o trailer:



Animal Practice
Estreia: 12/08 (prévia exibida pós-olimpíadas) e 26/09 (estreia no horário regular)

Animal Practice conta a história do Dr. George Coleman, um médico veterinário que ama animais mas odeia seres humanos. Justin Kirk (Modern Family) ficou com o papel do protagonista. JoAnna García (Better With You) interpretará a ex-namorada do protagonista que agora é a dona da clínica em que ele trabalha. Tyler Labine, de Reaper, também está no elenco.

Vou assistir? Já vi o piloto e não gostei muito do resultado. Verei mais um ou dois episódios antes de decidir se abandono ou não.

Veja o trailer:



The New Normal
Estreia: 11/09

The New Normal é a nova série criada por Ryan Murphy, o homem por trás de sucessos como Glee, American Horror Story e Nip/Tuck. A comédia conta a história de um casal gay, David e Bryan, interpretados por Justin Bartha e Andrew Rannells, que decide começar uma família e para isso precisa encontrar uma barriga de aluguel para carregar seu bebê, papel desempenhado por Goldie (Georgia King), uma mãe solteira que precisa do dinheiro para dar um rumo para a sua vida e a da sua filha. O elenco de The New Normal ainda conta com Ellen Barkin, como a avó preconceituosa de Goldie; NeNe Leakes, como a secretária hilária de Bryan; e Bebe Wood, como a filha pré-adolescente de Goldie.

Vou assistir? Já vi, já amei e com certeza vou continuar. O episódio piloto da série foi disponibilizado online na semana passada e é incrível. Postei lá no TeleSéries minhas primeiras impressões sobre a série, caso queiram saber mais.

Veja o trailer:



Guys With Kids
Estreia: 12/09 (sneak peek exibido depois do America's Got Talent) e 26/12 (estreia regular)

Guys With Kids é uma produção de Jimmy Fallon (Táxi) e conta a história de três pais nos seus 30 e poucos anos e como eles criam seus filhos sendo que eles mesmos ainda não cresceram. A comédia é estrelada por Anthony Anderson (Transformers), Zach Cregger (Friends with Benefits) e Jesse Bradford (A Conquista da Honra).

Vou assistir? Não sei muito o que esperar, mas não tenho uma expectativa muito alta, o trailer não me deixou com uma sensação boa. Provavelmente verei os primeiros episódios, já que não resisto a uma nova comédia, e vai da série me prender depois disso.

Confira abaixo o vídeo:



Revolution
Estreia: 17/09

Revolution é a nova série produzida por J.J. Abrams, a mente por trás de séries ótimas como Lost e Fringe, mas que recentemente não tem acertado muito. A série se passará em um mundo pós-apocalíptico 15 anos depois que tudo que é eletrônico simplesmente parou de funcionar e acompanhará a luta pela sobrevivência de um grupo de pessoas neste mundo hostil. Além da produção de J.J. Abrams, o episódio piloto de Revolution foi escrito por Eric Kripke, de Supernatural, e dirigido por Jon Favreau, de Homem de Ferro. O elenco conta com nomes como Giancarlo Esposito (Breaking Bad), Tracy Spiridakos (Being Human), Billy Burke (Crepúsculo) e Elizabeth Mitchell (Lost).

Vou assistir? Devo ver o piloto e a partir dele decidir se sigo ou não. Fiz isso com Alcatraz e foi uma ótima decisão não perder meu tempo.

Veja o trailer:



Chicago Fire
Estreia: 10/10

Chicago Fire é um drama de ação produzido por Dick Wolf, o responsável pela franquia de sucesso Law & Order, e seguirá a rotina de homens e mulheres que trabalham no Chicago Fire Department. Jesse Spencer (House), Eamonn Walker (OZ), Monica Raymund (The Good Wife), David Eigenberg (Sex and the City), Taylor Kinney (The Vampire Diaries), Lauren German (Hawaii Five-0), Merle Dandridge (Sons of Anarchy), Teri Reeves (Rules of Engagement) e Charlie Barnett (Law & Order: Criminal Intent) são alguns dos nomes na série.

Vou assistir? Provavelmente não. A série não me chamou a atenção em nenhum momento, mas tem cara de que deve agradar quem curte o gênero.

Veja o trailer:



Estas são as novidades para a fall season. No entanto, a NBC tem mais seis séries para estrear no ano que vem. Ficaram para a midseason Save Me - nova comédia estrelada por Anne Heche -, 1600 Penn, Next Caller, Do No Harm, Infamous e Hannibal.

See ya!!!

domingo, 2 de setembro de 2012

Azealia Banks lança clipe para 1991

Azealia Banks divulgou agora há pouco o clipe para a música 1991, quarta e última faixa do seu EP homônimo a ganhar um vídeo. E agora Azealia pode se gabar de ter um EP em que todas as faixas ganharam clipes simplesmente incríveis. O vídeo de 1991, dirigido por Justin Mitchell, segue o modelo dos clipes anteriores da rapper, são minimalistas mas com muitas referências, carão e fashionismo, ou seja, impecáveis. Além disso, Azealia está cada vez mais poderosa e dominando a tela. Não me canso de elogiá-la e de afirmar que ela é, atualmente, uma das minhas artistas favoritas. E por favor Azealia, agora que terminou o EP, vamos trabalhar um pouco as faixas da mixtape Fantasea e lançar clipes para Jumanji, Aquababe e Esta Noche!?

Confira o clipe abaixo:



See ya!!!

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Professor Green lança clipe para a incrível Avalon

Fico muito feliz de ver que o Professor Green continua trabalhando o At Your Inconvenience, seu excelente álbum de 2011. Ontem o rapper britânico lançou um clipe para Avalon, quarto single oficial e que também é uma das minhas favoritas de todo o álbum. A faixa conta com a participação da cantora Sierra Kusterbeck, a vocalista da banda VersaEmerge. O vídeo se resume ao rapper e a cantora apresentando a música em uma igreja. Nenhuma grande inovação, mas o resultado é bem interessante, afinal, a música tem força e os dois têm energia o suficiente para manter um clipe quase ao vivo. Simples e bonito.

Avalon deve ser, infelizmente, o último single do At Your Inconvenience, já que o próprio Green já avisou que está trabalhando em um novo álbum, o que será o terceiro de sua carreira. Fico feliz de saber que logo teremos material novo do rapper, mas eu bem que gostaria que Spinning Out e Astronaut se tornassem singles com clipes incríveis.

Confira o clipe abaixo:



See ya!!!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Saiu Lost In The Echo, o clipe incrível e interativo do Linkin Park

O Linkin Park lançou agora há pouco o clipe para Lost In The Echo, segundo single do álbum mais recente deles, o Living Things. Eu estava bem por fora do conceito do vídeo, na verdade, nem sei se eles explicaram em algum lugar, mas posso afirmar que me surpreendi. Para ver o clipe, você precisa entrar no lostintheecho.com e se conectar com a sua página do Facebook. Quando conectado, o vídeo vai carregar de forma única para cada espectador, já que ele usa as suas fotos no resultado final. Pelo que entendi da história, o vídeo trata de um andarilho que por onde passa aprisiona as pessoas com as quais tem contato em fotos. Não tem grandes revoluções, mas é visualmente muito bem feito, com efeitos especiais bem acabado, e chega a ser emocionante.

No fim do vídeo, uma nova tela se abre com um slideshow de suas fotos e a seguinte frase: "Life is too short to be depressed". Não esqueça, para conferir basta acessar o lostintheecho.com e se conectar com sua página do Facebook.

Caso uma versão única seja disponibilizada pela banda no You Tube, depois atualizo o post. Abaixo você confere o lyric vídeo da faixa:



See ya!!!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Crítica: O Ditador

É oficial! Sacha Baron Cohen é meu comediante da atualidade favorito. Ninguém, hoje em dia, consegue me fazer rir como ele. Borat é uma das minhas comédias favoritas; Brüno pode não ser tão boa quanto Borat - principalmente por já não ter aquele aspecto da novidade -, mas está longe de ser ruim e só por me fazer gargalhar já ganha aem malguns bons pontos comigo; além disso, ele dubla o rei Julien em Madagascar, o personagis engraçado da animação; e agora ele vem com O Ditador, sem dúvidas o filme mais engraçado do ano até agora.

O Ditador ainda investe nas mudanças físicas para o protagonista, mas deixa de lado o formato de documentário utilizado em Borat e Brüno em que quase tudo era gravado sem que as pessoas soubessem de que se tratava de um filme para registrar suas reações mais espontâneas. O filme acompanha a história do General Almirante Shabazz Aladeen (Sacha Baron Cohen), o excêntrico ditador da República de Wadiya, um país do norte da África, que vai para os EUA para fazer um discurso para a ONU para explicar seus testes nucleares. Lá ele é sequestrado e perde sua característica barba. Perdido pelas ruas de Nova York ele vê seu tio (Ben Kingsley) traí-lo na tentativa de assumir o poder e transformar Wadiya em uma democracia para poder vender o petróleo do país. Agora, Aladeen precisa reconquistar seu lugar de poder e ainda lidar com a paixão por uma feminista vegetariana (Anna Faris) que o ajuda.

Como é possível notar, a história de fundo não é das mais originais, mas ela funciona muito bem por sua simplicidade, deixando assim espaço para o desenvolvimento de piadas. E é nas piadas que reside o êxito máximo de O Ditador. Cohen não tem medo de ser politicamente incorreto e de fazer o humor que quer, sem medo de ser repreendido por minorias ou de tocar em assuntos sensíveis. Dá-lhe piadas com judeus, árabes, personalidades e muita alfinetada política. O roteiro, escrito por Cohen junto Alec Berg, Jeff Schaffer e David Mandel, não dá um descanso para o espectador, o que é ótimo, afinal, se vou ver uma comédia é porque quero rir.

O elenco também é ótimo e apesar de Cohen ser o protagonista máximo e dominar a tela toda vez que está em cena, Anna Faris tem seus momentos, principalmente por não ter medo do ridículo. Superou minhas expectativas e o resultado final? Aladeen!


Veja o trailer:



See ya!!!

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Opinião: Rita Ora - ORA

Quando Rita Ora surgiu, só se falava na nova protegida do Jay-Z e na possibilidade de estarmos diante de uma nova Rihanna - ah, as comparações eternas. No entanto, com o passar do tempo, enquanto que para alguns seu álbum de estreia, intitulado ORA, era um dos mais aguardados do ano, para mim ele não fazia muita diferença. Os dois primeiros singles lançados, How We Do (Party) e R.I.P., falharam em conseguir minha atenção, por isso, minha expectativa em relação ao restante do trabalho da cantora era praticamente nula. Mas, como sou curioso, resolvi dar mais uma chance para a cantora agora que o álbum completo vazou e eis que, para a minha surpresa, o resultado final é melhor que o esperado.

É um dos melhores álbuns do ano? Não, mas tem algumas músicas muito boas ali. Para começar, Facemelt. A faixa, que é uma produção do incrível Diplo, segue o mesmo caminho de Birthday Cake, da Rihanna, é apenas uma intro - Birthday Cake era uma interlude -, mas é melhor que muita música inteira por ai e depois de ouví-la fica aquela vontade absurda de que ela fosse completa. Outra música incrível é o single promocional Roc the Life. Ela tem aquela batida deliciosa e um refrão que te faz ir junto "while I roc the life li li la la li li life". Love and War é outro destaque. A faixa é uma produção do Stargate, conta com a participação do rapper J. Cole, foi escrita por Ester Dean e busca sua inspiração no hip-hop, junção de fatores que nas mãos de Rihanna seria uma sucesso absurdo, mas que aqui pode não render.

Fall In Love, faixa que conta com a participação de will.i.am e que também foi o responsável por sua produção, é vício instantâneo. A música é a que mais investe no eletrônico e nas batidas com pitada de dubstep, e o resultado é incrível. Outra favorita é Been Lying, uma balada linda que é a cara de algo que a Beyoncé lançaria há alguns anos e que nem parece ter sido produzida por Diplo, que normalmente nos entrega uma sonoridade mais experimental. Por último, Crazy Girl, da versão deluxe do álbum, é a faixa com mais cara de Diplo que não foi produzida por ele que já vi. As camadas de sons que se casam perfeitamente é uma maravilha e, se a letra não faz muito pela música, ela deve render horrores nas pitas só pelo seu instrumental.

O resultado final de ORA é bem satisfatório e, no conjunto da obra, até os dois primeiros singles que não me agradavam começaram a ganhar um espaço nas minhas playlists. No entanto, o álbum soa um pouco sem personalidade, ela parece experimentar diversos estilos sem saber ao certo qual é o dela.

Ouça abaixo Roc the Life, a minha favorita no momento:



See ya!!!

Ouça Finally Found You, o novo single do Enrique Iglesias

Suposta capa
Enrique Iglesias está de volta depois de ter atingido o sucesso mundial com seu último álbum, o Euphoria, que rendeu hits como I Like It, Dirty Dancer e Tonight (I'm Fuckin' You). Finally Found You, o primeiro single do seu próximo trabalho, divulgado hoje, é a típica faixa do Enrique Iglesias atual, pop com pitadas de música eletrônica e um rapper para alguns versos - desta vez não é o Pitbull, e sim o novato Sammy Adams -, o típico "em time que está ganhando não se mexe", ou seja, se você curte os trabalhos anteriores do cantor, tem grandes chances de adorar seu novo single. Eu, particularmente, curti bastante e vejo potencial para mais um sucesso arrebatador. O single será lançado no iTunes amanhã, enquanto que o novo álbum, ainda sem título, não possui data.

Ouça abaixo e tire suas próprias conclusões:



See ya!!!

Nicki Minaj não para! Saiu o clipe de I Am Your Leader

Nicki Minaj não para! E eu amo! A rapper e cantora divulgou hoje o clipe de I Am You Leader, o mais recente single urban do seu último álbum, o Pink Friday: Roman Reloaded. A faixa conta com a participação dos rappers Rick Ross e Cam'ron e é uma das melhores da parte mais voltada para o rap do último trabalho dela com uma batida viciante e um refrão que é impossível de não cantar junto. Não sei porque, mas o design da casa em que se passa o clipe me lembrou muito o da casa de Os Fantasmas se Divertem, do Tim Burton, mas com uma pegada mais moderna com suas luzes e efeitos, além das muitas cores. Nicki, em diversos momentos, parece ter vindo direto da época das mixtapes, o que é ótimo. Só dispenso a visão do Rick Ross se camisa.

Confira o clipe abaixo:



See ya!!!

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

B.o.B e Nicki Minaj loucos nos clipe de Out of My Mind

B.o.B lançou hoje o clipe de Out of My Mind, sua colaboração com a rapper/cantora Nicki Minaj. A faixa é o quarto single oficial do último álbum do rapper, Strange Clouds, e uma das melhores já feitas por ele - claro que a participação de Nicki ajuda em muito nisso. O clipe foi dirigido por Benny Boom, que atualmente tem trabalhado muito com a rapper, é dele os últimos três clipes dela - Beez In The Trap, Right By My Side e Pound The Alarm - e mais alguns em que ela participou. Nele vemos B.o.B internado em um hospital psiquiátrico com direito a camisa de força e máscara de Hannibal Lecter enquanto Nicki não economiza nas caretas como uma psiquiatra tão louca quanto os pacientes.

Confira o clipe abaixo:



See ya!!!

Veja o trailer de Passion, o novo filme de Brian De Palma

Passion, o novo filme de Brian De Palma, acaba de ganhar seu primeiro e curto trailer. Este é o primeiro filme do diretor em cinco anos. Isso mesmo, De Palma não lança nada desde Redacted, de 2007 - que, acredito eu, nunca chegou ao Brasil. Passion é um remake do filme francês de 2010 Crime de Amor (Crime d’amour), dirigido por Alain Corneau e já disponível em DVD no Brasil.

A história do filme segue duas mulheres, Christine (Rachel McAdams) - uma empresária elegante e de sangue frio que tem uma posição de destaque e poder em uma agência de propaganda - e sua assistente Isabel (Noomi Rapace) - uma morena tímida e reservada. Christine tem um charme suave, mas embaixo de seu verniz de controle existe uma mulher com necessidades sexuais excêntricas. Já Isabel é inteligente, criativa e ambiciosa. Quando Christine assume o crédito por uma campanha de marketing cuja ideia foi toda de Isabel, as máscaras caem e Isabel parte em busca de vingança.

O trailer não revela muito, mas já dá uma ideia do tom de thriler erótico que o filme seguirá. Passion estreará primeiro no Festival de Veneza, que começa no próximo dia 29, e depois passará no Festival de Toronto em setembro. No entanto, não há qualquer previsão de estreia para o filme nos cinemas norte-americanos ou brasileiros.

Veja o trailer abaixo:



See ya!!!